Dra. Suelen Rodrigues Stallbaum – Hematologista Londrina, Apucarana, Maringá e região

Transplante de medula óssea: saiba tudo sobre o assunto!

Você que acompanha meus conteúdos nas redes sociais provavelmente já me viu falar sobre medula óssea. Ela é um tecido sanguíneo rico em células jovens que fica dentro dos ossos e muitas vezes é chamada de tutano. A medula é essencial para nós, porque é nossa “fábrica de sangue”, onde estão nossas células-tronco hematopoéticas, que são responsáveis pela geração de todo nosso sangue. Ou seja, é ali que os componentes do sangue nascem.

Hoje eu vim falar especificamente sobre algo que quase todo mundo já ouviu falar, mas pouca gente sabe de verdade o que é: o transplante de medula óssea.

O transplante de medula é a retirada dessas células da medula do doador e a transferência dessas células para o paciente. O procedimento é relativamente simples e pode ser feito de 2 formas: através da captação das células tronco do sangue periférico (Como se o doador fosse doar sangue, simples assim) ou através da doação das células tronco captadas direto da medula óssea (Na maior parte das vezes somente feito para doadores dentro da família).

Nos casos de doação por sangue periférico, chamada de aférese, o doador recebe injeções por alguns dias para liberar as células tronco da medula para o sangue e depois faz uma coleta de sangue normal. O procedimento é bastante simples e indolor, muitas vezes sem necessidade de internação.

Já no processo de doação através da coleta de células da medula, o doador é levado para um centro cirúrgico. Recebe então uma anestesia e os médicos realizam a retirada das células da medula direto do osso da bacia. Após o doador recebe uma transfusão de sangue para repor o sangue perdido na doação.

A escolha pelo procedimento aférese (sangue periférico) ou medula óssea, vai depender da doença que o paciente que irá receber a medula apresenta e se o doador é da família.

O tratamento com transplante de medula óssea é feito em pacientes de algumas doenças hematológicas. As principais são: leucemias, linfomas, mieloma múltiplo, anemias graves, doenças genéticas e Aplasia de medula.

Existem três tipos de transplante:

  • Transplante Alogênico Aparentado: Quando o doador é um parente do paciente compatível
  • Transplante Autólogo: Quando as células da medula óssea são retiradas do próprio paciente
  • Transplante Alogênico Não Aparentado: Quando as células vêm de um doador desconhecimento, cadastrado no banco de doadores de Medula Óssea.

Após o transplante, não é de imediato que os novos componentes de sangue são fabricados. Por isso, a imunidade do paciente tende a ficar extremamente baixa, sendo necessária a internação hospitalar, muitas vezes em isolamento para evitar contato com outras doenças contagiosas.

É importante lembrar que nem todas doenças do sangue requerem o transplante como tratamento. Porém, apenas um hematologista fazendo o acompanhamento do paciente poderá indicar o momento em que o procedimento se faz necessário.

Vale lembrar também que você pode ser um doador de medula óssea e ajudar a salvar vidas! Para ser um doador você precisa ter entre 18 e 55 anos e estar em bom estado de saúde. Basta procurar o hemocentro da sua cidade para fazer o cadastro!

Ficou com alguma dúvida?  Para consultas em Londrina ligue para (43) 3372-2500. Em Apucarana (43) 3422-0836. WhatsApp apenas para agendamento: (43) 99187-9191.