Dra. Suelen Rodrigues Stallbaum – Hematologista Londrina, Apucarana, Maringá e região

Púrpura Trombocitopênica Imune (PTI): Entenda mais sobre o assunto!

Você já ouviu falar na Púrpura Trombocitopênica Imune (PTI)? Essa doença de nome complicado é o tema de hoje aqui nas nossas dicas!

A PTI é uma doença autoimune e acontece por conta da destruição das plaquetas que são células produzidas na medula óssea e que trabalham no processo de coagulação do sangue, o que impede que aconteçam as hemorragias. E por que isso acontece?

Quando temos algum tipo de infecção, nosso corpo produz anticorpos para nos defender. Mas às vezes o corpo “se confunde” e ao invés de produzir anticorpos contra vírus ou bactérias, acaba produzindo anticorpos contra as plaquetas e destruindo elas, por isso o número de plaquetas baixa na PT.I

Na Púrpura Trombocitopênica Imune o número de plaquetas cai drasticamente, o que causa a trombocitopenia, ou seja, nome técnico para redução do número de plaquetas, também chamadas de trombócitos.  A PTI pode ser completamente assintomática e descoberta apenas por exame de sangue de rotina. Quando apresenta sintomas, o mais comum são sinais de sangramento em pele e mucosas. O padrão de sangramento pode ser “em pontinhos” (petéquias) ou manchas maiores, parecidas com hematomas (equimoses).

Além das manchas roxas na pele, é comum também o sangramento no nariz (epistaxe) e gengiva (gengivorragia). A PTI muito raramente pode causar sangramento em outros órgãos, como trato gastrointestinal e cérebro, também quando o número de plaquetas é muito baixo. Outros sintomas como dores nas pernas ou fluxo menstrual intenso também podem ocorrer.

Sobre a incidência, a PTI ocorre mais em mulheres do que em homens. É muito comum também em crianças, geralmente com quadro auto-limitado associado a infecções virais.

Para o diagnóstico precisamos solicitar o hemograma que vai mostrar o número de plaquetas reduzido e afastar todas as possíveis causas de plaquetas baixas. Depois de tudo normal, podemos dizer, por exclusão, que a causa das plaquetas baixas é auto-imune e fechar o diagnóstico de PTI. O tratamento é feito com corticoides (prednisona), para controlar os sintomas e aumentar o número de plaquetas no sangue. Nem sempre é necessário o tratamento da PTI, já que a doença muitas vezes se apresenta assintomática. Geralmente é recomendado pensar em tratamento somente quando as plaquetas estão abaixo de 30mil em pacientes assintomáticos!

Outra forma de tratamento é a retirada do baço em situações específicas, já que a destruição das plaquetas acontece neste órgão e retirando ele muitas vezes conseguimos controlar os sintomas nos pacientes que não respondem ao corticoide.

Em caso de manchas na pele e sangramentos, o ideal é procurar um hematologista o quanto antes!

Em Londrina ligue para (43) 3372-2502. Em Apucarana (43) 3422-0836. WhatsApp apenas para agendamento: (43) 99187-9191

10 comentários em “Púrpura Trombocitopênica Imune (PTI): Entenda mais sobre o assunto!”

  1. Parabéns Dra Suelen pela abordagem desta doença!
    Meu filho aos 6 anos teve PTI, chegou a ficar com 9000 plaquetas. Identificamos através das petéquias e precisou fazer um longo tratamento!
    Hoje ele está com 25 anos e formando em engenharia civil na UEM! Graças a Deus e a excelente hematologista!
    Abraços
    Abraços

    • Que bacana, Susi! Realmente a PTI é comum na infância e na maior parte das vezes auto-limitada! E que orgulho do filhão, hein? Parabéns!

    • Bom dia Dra,estou em tratamento da PTI no HC,sou corticóide resistente e já retirei o baço,quer dizer minha PTI é crônica,os profissionais do HC estão fazendo o possível para descobrir uma forma de tratamento,já que as três existentes foram feitas. Não tomo nenhum medicamento.Hoje minhas plaquetas sanguíneas é de 41mil ,sendo que esse hemograma completo foi feito dia 24/07/2018..Antes do início do tratamento cheguei a ter uma plaquetas 12 mil e máximo 20 mil,não passava disso,após a retirada do baço houve um aumento de 117 a 146 mil plaquetas sanguíneas circulares no sangue,com o tempo começou a dimnuir,agora eu te pergunto:porque houve essa diminuição?eu não sinto nada,só quando está muito baixa as plaquetas que sinto dores pelo corpo e raqueza.

      • Oi Maria, tudo bem? As plaquetas em quem tem PTI diminuem devido à presença de anticorpos. Quando temos quadros virais ou inflamatórios geralmente ativamos novamente os anticorpos e nos casos mais refratários (que pelo que você contou parece ser o seu) essa ativação pode ser constante. Plaquetas baixas não trazem sintomas como fraqueza e dores no corpo, então é necessário avaliar outras causas que justifiquem isso. Ok? Mas converse com seu hematologista que eu tenho certeza que ele conseguirá te explicar bem melhor conhecendo o seu quadro clínico. Combinado? Att. Dra. Suelen

  2. Bom dia Dra Suelen , me chamo IARA DALILA, tenho 33 anos e faço acompanhamento de PTI com revolade.

    • Oi Iara, tudo bem? O Revolade é indicado nos casos refratários a corticoide, esplenectomia e outros imunossupressores. Mas geralmente tem uma boa resposta. 😉

  3. Olá dra Suelen, me chamo Lyan. Fui diagnosticada com Pti. Ano passado engravidei, minhas plaquetas baixaram ainda mais. Chegaram a 26 mil, tentamos o uso do prednisona, mas infelizmente não elevava minhas taxas. Os sangramentos nasais eram frequentes, e as placas roxas no corpo todo tbm. Qnd estava com 36 semanas de gestação perdi meu filho. A Pti pode ter sido a causa da morte dele? Tive ele de parto normal, pq a cesariana não era recomendada, já que perderia mais sangue nesse caso. Qnd ele nasceu me informaram que a minha bolsa era hemorrágica, posso ter tido uma hemorragia, que tenha causado a morte do meu filho? Quem tem pti pode ter filhos? Ou o risco de percas é grande?

    • Oi Lyan, tudo bem? Primeiramente sinto muito pela sua perda. É muito difícil fazer uma avaliação sem ter acesso aos exames e sem ter acompanhado o caso. O que posso te dizer é que sim, quem tem PTI pode engravidar. Mas realmente tem um risco maior de sangramento. Não sei se você tem outros filhos, mas não desista de tentar! COmbinado? Se quiser discutir melhor, reúna seus resultados de exames e agende uma consulta para uma avaliação mais precisa. Att. Dra. Suelen

  4. Oi Dr realmente a PTI é comum em crianças.. precisei retirar o baço com 8 anos de idade…na época era pouco conhecido essa doença.. fikei muito tempo em tratamento para descobrir o q era realmente, tratei mais de 4 anos em Maringá e Londrina até q uma Dr de Maringá resolveu retirar meu baço. Hj tenho 32 anos.. gostaria de saber c essa doença e hereditária?? E c com a retirada do baço a imunidade fika mais baixo?.. pois sempre tenho infecção de garganta pode ter algo haver???

    • Oi Valéria, tudo bem? Sua evolução é clássica dos pacientes com PTI. Na infância a maior parte responde com corticoide, mas os que não respondem grande parte vai responder com a retirada do baço. O baço é responsável pela imunidade contra determinados microorganismos, mas geralmente infecções de garganta não são os casos mais comuns. Ok? Sobre ser hereditária, geralmente não, a menos que se tenha outra doença de base para gerar os anticorpos. Se tiver mais dúvidas, manda aqui. 😉 Att. Dra. Suelen

Os comentários estão encerrado.