Dra. Suelen Rodrigues Stallbaum – Hematologista Londrina, Apucarana, Maringá e região

Ferro na veia – como? Quando? Por quê?

Você já ouviu falar em reposição de ferro direto na veia? Já se perguntou quem precisa disso? Então vem comigo que no post de hoje eu vou te explicar!

A reposição de ferro endovenosa (na veia, que vai direto para a corrente sanguínea), é indicada em alguns casos e eu quero te explicar mais sobre isso hoje, porque esse é um assunto que gera muitas dúvidas: todo paciente com anemia precisa? Por que eu não fiz reposição direto na veia, não é mais rápido?

Nós indicamos esse tipo de reposição para pacientes com um quadro de anemia grave, mas para outros casos também.

Gestantes que precisam de reposição:


Você sabia que algumas grávidas repõe o ferro direto na veia, principalmente mais para o final da gestação?? Isso porque na gestação ela precisa de ferro para si própria e também para o bebê, então muitas vezes a absorção oral não será rápida e eficiente o suficiente.

Mães com anemia, muitos enjoos, vômito e dificuldade para comer podem ter indicação de reposição endovenosa. Também é possível que exista essa indicação para gestações múltiplas (gêmeos, trigêmeos) ou quando há sangramento por alguma complicação. 

Quando não há absorção na forma oral 

Alguns pacientes não absorvem nutrientes na quantidade necessária e por isso a reposição precisa ser feita diretamente na veia. São casos de pacientes após bariátrica, gastrectomia (retirada parcial ou total do estômago) e pacientes com doenças intestinais que causam problemas de absorção, como Doença Celíaca.  

Para esses casos, quando tentamos a reposição via oral (com o comprimido mesmo) e não foi suficiente, o próximo passo é a reposição na veia. 

Além desses, também temos os casos dos pacientes renais crônicos, que precisam de uma resposta rápida no tratamento.

“Mas e aí doutora, essa reposição é feita uma vez só?”

O primeiro passo é a gente entender o porquê da anemia tão severa, ou da má absorção via oral. Entender se já foram feitas tentativas de reposição de ferro e qual foi a resposta do paciente.

A quantidade de ferro administrada vai depender da deficiência que cada paciente está apresentando nos exames. E a forma vai depender da disponibilidade, hoje em dia temos basicamente 2 opções: Noripurum e Ferinject.

A principal vantagem da reposição de ferro endovenosa é a rapidez na absorção, com o aumento da hemoglobina mais rápido, o que favorece as respostas do organismo. Mas para saber a dose e frequência correta, é preciso a avaliação de um hematologista e o acompanhamento dele. Pode ser que a reposição precise ser feita periodicamente. 

E aí, você já sabia disso? Me conte nos comentários e compartilhe esse post para mais pessoas aprenderem também! 

Dra. Suelen Stallbaum⠀
Hematologista (RQE 21.929)⠀
📱Londrina ligue para (43) 3372-2500 no Centro de Oncologia⠀
(43) 3361-0111 Reumato Clínica
(43) 3027-2975 Clínica Cen

Apucarana (43) 3034-0789⠀
WhatsApp (43) 99187-9191