Dra. Suelen Rodrigues Stallbaum – Hematologista Londrina, Apucarana, Maringá e região

CAR-T Cells: a terapia do futuro chegou ao Brasil

Na última semana muita gente está vindo perguntar e comentar sobre o novo tratamento de cânceres hematológicos (ou seja, do sangue, como linfomas e leucemias) com a chamada terapia com as “CAR-T Cells:. Isso porque a notícia de um paciente brasileiro com Linfoma Não-Hodgkin, que considerado um paciente terminal, entrou para o teste do tratamento com as células CAR-T e teve significativa regressão do linfoma, recebendo alta com ótima resposta e expectativa de cura. 

Realmente, um quadro como esse merece bastante comemoração. Mas, é preciso ir com cautela, pois infelizmente ainda não estamos falando da descoberta da cura do câncer, ok? Aliás, nem sequer da cura de todos os linfomas. Então vem comigo que hoje eu vou te explicar o que é esse tratamento e o porquê de tanta comemoração.

Vamos entender o que são as tais células CAR-T e como elas funcionam no tratamento?

Células CAR-T:

As células T são um grupo de glóbulos brancos (leucócitos) responsáveis pela defesa do organismo contra agentes desconhecidos. Ou seja, elas são super importantes no nosso sistema de defesa em geral pois são as responsáveis por reconhecer as células estranhas ao nosso corpo, sejam microorganismos como vírus ou células anômalas como as do câncer. 

Uma das mudanças que acontece no nosso corpo e faz o câncer surgir é justamente a capacidade dessas células em “fugirem ou escaparem” do nosso sistema imune. Se não reconhecemos ela como estranha, ela não é destruída e passa a proliferar de forma errada no nosso corpo, está aí o câncer surgindo e se espalhando.

“Mas eu ainda não entendi o que são as “CAR-T cells”e o que elas têm a ver com as células T.”

Calma que estamos chegando lá.

“CAR-T cells” é uma sigla que vem do inglês e a sua tradução seria “Receptores de antígenos quiméricos de células T”. Nessa terapia retiramos algumas células T do sangue do paciente e adicionamos um receptor artificial preparado com algumas partes da célula do câncer do paciente. Depois reinjetamos essas células T modificadas no paciente.

Na prática, o que acontece é que as células são retiradas, moldadas em laboratório e reinseridas no paciente como “terapia-alvo”, ou seja, ensinamos novamente o nosso sistema imune a reconhecer e… atacar diretamente as células doentes, reprogramando as células. 

Lembra que falei sobre imunoterapia? Pois é! Esse tratamento faz parte desse grupo. 

Atualmente as CAR-T Cells estão sendo estudadas para diversos tipos de câncer, mas estão disponíveis para uso comercial apenas no exterior e somente para algumas doenças muito específicas como, Leucemia Linfoide Aguda refratária. mas no Brasil não temos autorização para usá-las em tratamento porque ainda é algo extremamente novo e  em fase de pesquisa. Então, aqui, os pacientes que estão recebendo o tratamento fazem parte de um grupo de pesquisa laboratorial. 

Pontos importantes:

 

  1. Hoje, a terapia é usada apenas para doenças em que houve falha do tratamento com diversas linhas de quimioterapia ou imunoterapia.
  2. Esse tratamento é feito “sob medida” para o paciente e por isso costuma funcionar mesmo em pacientes que já falharam em diversos tratamentos anteriores.
  3. Ainda não sabemos se realmente a medicação irá funcionar a longo prazo neste paciente, pois o tempo de acompanhamento é muito curto (apenas 1 mês). Mas o fato de o paciente ter sobrevivido já é um ótimo sinal, pois esse tratamento é bastante tóxico.
  4. O grande mérito do desenvolvimento no Brasil é conseguir sucesso com uma tecnologia tão complexa e com um custo até 20 vezes menor do que no exterior (400 mil dólares no exterior – cerca de 1,6 milhões de reais contra 150 mil reais a dose desenvolvida no Brasil).

 

Entenda como funciona o tratamento:

Imagem fonte: 

https://g1.globo.com/mg/minas-gerais/noticia/2019/10/14/paciente-com-remissao-de-cancer-terminal-ja-esta-em-casa-em-bh-apos-tratamento-inedito-no-brasil.ghtml

 

Gostaria de deixar meus parabéns à equipe envolvida na pesquisa e dizer que esse é um dos maiores orgulhos da ciência brasileira na área da hematologia dos últimos tempos.

Que sigamos com esperança!

 

2 comentários em “CAR-T Cells: a terapia do futuro chegou ao Brasil”

  1. Oi Dr Suelen, primeiro quero dizer que acho muito importante suas publicaçoes estou aprendendo muito com elas, segundo, eu ja tive endocardite bacteriana fiquei 40 dias hospitalizada ja fazem 5 anos estou muito bem, mas tenho muito medo de reincidir e depois disso sempre tenho um pouco de anemia nada que assusta mas nunca ficou normal depois disso , o que eu posso fazer pra melhorar isso ?

    • Oi Julianede Lima!! Fico feliz em poder ajudar. Recomendo procurar um cardiologista e infectologista. Endocardites crônicas podem fazer grandes estragos e pode ter relação com a anemia. 😉 Melhoras. Abraços, Dra. Suelen Stallbaum

Os comentários estão encerrado.