Dra. Suelen Rodrigues Stallbaum – Hematologista Londrina, Apucarana, Maringá e região

O que é a Micose Fungoide?

Meu objetivo aqui com os conteúdos é trazer o máximo de conhecimentos sobre doenças comuns e também sobre as raras. Você sabia que tem um tipo de câncer chamado “Micose”? Pois é. E hoje vou falar sobre ele!
 
A Micose Fungoide é um tipo de câncer da área da hematologia. Lembra que falamos sobre os linfomas? Então, micose fungoide na verdade é um tipo de linfoma não hodgkin de pele.

 
Vamos lembrar o que são linfomas?
 
Linfomas são os cânceres que atingem os linfócitos, nossas células de defesa. Na maior parte das vezes, os linfomas surgem nos gânglios, que são aqueles “carocinhos”, ou ínguas, que temos pelo corpo.
 
Diferente desses tipos de linfomas com os quais estamos mais familiarizados, a Micose Fungoide atinge a pele, o que pode gerar uma confusão.
 
Quando falamos em linfomas cutâneos, dividimos em três subtipos:
 
De células T, células B e células NK, sendo os dois últimos tipos bem raros. O linfoma cutâneo mais comum é o de células T, e a Micose Fungoide está justamente nesse grupo.
 
A maior característica da doença são as lesões causadas na pele, que podem começar pequenas, mas tendem a se espalharem, muitas vezes trazendo um diagnóstico errado para o paciente. As lesões podem ser confundidas com alergias, urticária, queimadura. Por isso todo paciente com lesões de pele suspeitas deve ser avaliado pelo dermatologista, que quando suspeitar de micose fungoide fará o encaminhamento ao hematologista.
 
O diagnóstico
 
Para diagnosticar a Micose Fungóide, é preciso realizar uma biópsia da pele. Porém, nem sempre é fácil chegar até a suspeita da doença, porque o principal sintoma da doença são lesões e manchas vermelhas na pele, que coçam. Só que o problema é que boa parte dos pacientes ficam com o sintoma achando que é uma simples alergia ou coceira comum.
 
Como as lesões se assemelham às causadas por fungo, o nome da doença não é à toa.
Uma característica dessas lesões é que se tratadas como alergia, podem até passar, mas logo voltam. Então se atente para manchas e coceiras que persistem, ok?
 
Tratamento
 
O nome linfoma assusta, eu sei. No caso da Micose Fungóide, a doença não tem cura, mas existe um tratamento para controlar os sintomas na maior parte dos casos, proporcionando uma boa perspectiva de vida ao paciente.
 
Quando o câncer é diagnosticado em sua fase inicial, o tratamento é feito diretamente na pele, usando por exemplo a fototerapia (tratamento com luz) e também o uso de corticoides em pomadas e cremes.
 
Agora, se o diagnóstico é feito já em fases avançadas, podemos combinar ciclos de quimioterapia e também avaliar a possibilidade de um transplante de medula óssea, principalmente em pacientes que não estão respondendo aos outros tratamentos.
 
Por ser um linfoma, essa é uma doença da área da hematologia, que também estuda e trata outros linfomas, embora nos estágios iniciais não complicados o tratamento possa ser feito somente com o dermatologista.
 
E aí? Achou curioso? Gostou do conteúdo? Tem algum outro tema para sugerir?
 
Estou aqui para te ajudar 😉 sou médica hematologista com consultório em Londrina e Apucarana. Para consultas em Londrina ligue para (43) 3372-2500. Em Apucarana o número é (43) 3422-0836. WhatsApp apenas para agendamento: (43) 99187-9191.