Dra. Suelen Rodrigues Stallbaum – Hematologista Londrina, Apucarana, Maringá e região

Mitos e verdades sobre imunidade

Ultimamente, muito tem se falado sobre imunidade.  Mitos e verdades sobre imunidade, como “Imunidade baixa facilita a chegada de novas doenças e infecções”. “Precisamos cuidar da nossa imunidade!”. 

Você com certeza já ouviu alguma dessas frases, não é?

Mas, o que é a imunidade e o que de fato é verdade ou mito em meio às muitas informações que recebemos?

Vamos começar lembrando que nosso sistema imunológico é a defesa do nosso organismo e ele é formado por diversos componentes, como leucócitos de vários tipos, anticorpos, algumas enzimas com função de destruição de bactérias, sem falar em barreiras físicas como a própria pele, etc. 

O principal objetivo do sistema imune é defender nosso corpo contra os “invasores”, microorganismos, como os vírus, por exemplo.

A imunodeficiência (ou “imunidade baixa”) existe quando esses componentes sofrem algum tipo de alteração. 

Quais são os sinais de que algo não vai bem com a imunidade?

-> Infecções repetidas (uso de antibióticos várias vezes no ano, por exemplo)

-> Problemas respiratórios contínuos

-> Diarréias crônicas

-> Doenças autoimunes

-> Alergias severas

E o que são mitos e verdades sobre imunidade?

Existem soluções que podem ajudar a “aumentar a imunidade”

Mito. A primeira coisa que precisamos ter em mente é que o conceito de aumentar a imunidade é bastante errado. O que se faz é tratar o que está desregulando o sistema imunológico, para que ele volte ao normal.

Shots de imunidade, “bombas da imunidade” e alimentos milagrosos, não funcionam cientificamente. Pode ser que eles não te façam mal (embora alguns até possam causar sobrecarga ao rim e fígado, por exemplo), mas não podem ser tomados com o objetivo de trabalhar o sistema imunológico. 

A pessoa pode nascer com problemas de imunidade

Certamente uma verdade. É o que chamamos de imunodeficiência primária, ou seja, alguma condição que vem desde o nascimento por conta de um erro na formação do nosso sistema imune. Neste caso, o tratamento e acompanhamento será justamente dessa condição que causa a alteração imunológica.

Reposição com vitaminas podem ajudar

Verdade. Diferente dos shorts milagrosos, por meio de exames conseguimos identificar se há deficiência de vitaminas no corpo e consequentemente suplementar. 

Vacinas podem sobrecarregar o sistema imunológico

Mito. Infelizmente, embora tantas informações estejam disponíveis, ainda existe um movimento antivacina que é muito perigoso.

As vacinas são seguras e isso já foi comprovado por muitos estudos científicos. Para se ter ideia, cada ciclo de vacinação não aciona nem 0,1% do sistema imune, como mostrou um estudo clássico de 2002 publicado no periódico Pediatrics da Associação Americana de Pediatria.

As vacinas, na verdade, são fundamentais para o fortalecimento e desenvolvimento da imunidade. 

Enfim, existem diversas outras lendas urbanas como alimentos que aumentam a imunidade que não têm fundamento científico.

E você, qual a lenda que já ouviu? Conta aqui nos comentários pra gente corrigir as informações. 😉

Para agendamento de consulta ligue em Londrina  para 43 3372-2500. Em Apucarana 43 30340789 ou envie um WhatsApp para 43 99187-9191. O número de WhatsApp é válido tanto para Londrina, quanto para Apucarana.

Abraços e se cuidem!

4 comentários em “Mitos e verdades sobre imunidade”

  1. Minha filha de 9 anos é alergica.
    Espira or pelo d cachorro .vento frio
    Isso pode ser imunidade baixa?É assim desde bebe.

    • Oi. Parece mais alteração alérgica e não associada à imunidade baixa, ok? Mas converse com a pediatra dela. Abraços.

    • Oi Maria, tudo bem?
      Algumas doenças auto-imunes podem produzir anticorpos contra as nossas células de defesa, os leucócitos. É o nosso próprio corpo destruindo as células de defesa com anticorpos que deveriam atacar vírus e bactérias, mas que acabam “se confundindo” e atacando a gente mesmo.
      Nesse caso precisamos usar remédios que impeçam a produção desses anticorpos.
      Outra explicação é que o tratamento das doenças auto-imunes muitas vezes usam corticoides e outras medicações imunossupressoras que também influenciam na imunidade e por isso o paciente fica mais exposto a alguns tipos de infecções.

Os comentários estão encerrado.